Histórico da ADEMP:

precedentes, existência informal e constituição legal.

A Assembléia de Deus - Ministério da Plenitude (ADEMP), fundada em 02/02/02 e registrada em 20/02/02,
teve como base para sua estruturação oito (8) famílias que contribuíram com cerca de 80% dos fundadores;
dos quais foram eleitos os membros da primeira
Diretoria e composto o primeiro Ministério da Igreja.


1 - Precedentes da AD - Ministério da Plenitude.

Em dezembro de 2001, na Congregação Pólo do Setor XVI - Cidade Satélite, um dos mais belos templos e uma das mais sofridas congregações da AD em Natal, o anúncio da substituição prematura do seu líder, Pr. José Gilson de Oliveira, gerou grande insatisfação entre os membros. Na impossibilidade de serem ouvidos nas importantes decisões da congregação, algumas famílias decidiram migrar para outras denominações na esperança de serem atores de sua própria história, mormente da educação e formação religiosa de seus filhos.

Como alternativa a essa decisão, havia a constituição de uma nova organização religiosa, com um governo mais próximo do modelo participativo da igreja cristã primitiva. Convidado para liderar esse processo, o Pr. Gilson orientou essas famílias a permaneceram na congregação da Rua Gameleira, aguardando a sucessão dos fatos. Mensagens de apoio e estímulo foram dadas ao pastor, através de diversos canais. Entre esses, uma pessoa alheia ao ambiente evangélico - a professora Leonor A. B. Oliveira, cunhada do pastor - que transmitir-lhe um pensamento recebido em sonho, no dia 5 de janeiro: "O líder que não assume a liderança corre o risco de ser liderado por alguém que não é um verdadeiro líder".

Em 08 de janeiro de 2002, o Pr. Gilson Oliveira devolveu o cargo que ocupava no Setor XVI da IEADERN. Três dias após, na noite do dia 11, estando na praia de Jacumã onde buscara repouso e orientações do Senhor, foi visitado por 17 irmãos, que se deslocaram mais de 40 km para ouvi-lo. Após uma improvisada e singela celebração da Ceia do Senhor, na qual manifestou-se fortemente a presença do Espírito Santo, o pastor dirigiu uma palavra de exortação e conscientização quanto às dificuldades que o grupo enfrentaria para desvincular-se da Igreja, em busca de identidade própria. Disse aos presentes que, apesar de ser obreiro na IEADERN, há 29 anos, não se omitiria em liderá-los nessa empreitada; porém, gostaria que todos refletissem sobre o assunto, até um próximo encontro.

Na noite do dia 16, numa dependência do CEFET-RN, houve uma segunda reunião, ao final da qual 24 pessoas confirmaram a intenção de constituir uma nova organização eclesiástica. Um próximo encontro foi marcado para o dia 21, na residência do casal Daniel e Edilma Nascimento, com o duplo propósito de cultuar ao Senhor e definir os rumos a serem dados a esse projeto.


2 - Período de existência informal da ADEMP.

A partir do dia 21 de janeiro, a igreja embrionária passou a reunir-se na residência da Família Nascimento, na Rua Rio Juruá, n.º 7738, em Cidade Satélite. Dessa fase oficiosa da vida da Igreja, vale registro a realização do primeiro culto, na segunda-feira, 21/jan., no qual foram cantados os hinos 375, 394 e 01, da HC; e lido o texto bíblico de Ef 3.14-21, onde o Pr. Gilson explanou a Palavra com foco no verso 19-b: "para que sejais cheios de toda a plenitude de Deus". Esse versículo, provavelmente, definiu o nome da nova igreja - escolhido em voto secreto pelos presentes - e veio a tornar-se o texto áureo da Igreja. A oferta alçada nessa noite foi de R$ 1.206,50 (um mil duzentos e seis reais e cinqüenta centavos), algo equivalente a um salário mínimo por família presente.

Do segundo culto, realizado no dia 24, merecem destaque os depoimentos sobre revelações obtidas por duas irmãs, ainda na Congregação da Rua Gameleira. Numa delas, o pastor Gilson fora visto em um lugar deserto, em atitude de reflexão, sendo-lhe transmitida uma determinação para "fazer aquilo que tinha que ser feito, já há algum tempo". Numa outra, testemunhada pela irmã Dorinha Alves, fora visto um grande mar atrás do templo da Gameleira; repentinamente, o céu se escurecia e levantavam-se grandes ondas que avançavam sobre o templo, enquanto se ouvia uma voz alertando os presentes que saíssem para não serem submergidos.

Nesse ínterim, por ocasião da 18ª Convenção Estadual de Ministros da IEADERN, realizada de 21 a 25 de janeiro, as principais lideranças evangélicas do RN tomaram conhecimento do projeto de constituição da ADEMP.

No culto dominical do dia 27 de janeiro, deu-se a primeira conversão de uma pessoa na nova igreja, o jovem universitário Tiago Halley Vieira Nogueira. Nesse dia, a freqüência à Escola Dominical foi de 26 adultos e 8 crianças; e o Culto teve uma participação total de 41 pessoas.

Em 28 de janeiro, o Pr. Gilson Oliveira formalizou junto à Presidência da Convenção Estadual um Requerimento para que fosse ouvido pela Mesa da Convenção, objetivando: 1) a autorização da Convenção para que pudesse presidir a nova entidade religiosa; 2) a filiação dessa igreja à CEMADERN, nos termos do § 4º do Art. 1º do Estatuto da IEADERN (somente em 5 de fevereiro, data na qual completou 35 anos na IEADERN, o Pr. Gilson Oliveira foi recebido e ouvido pela Mesa da Convenção, saindo da reunião convicto do indeferimento do seu pleito. Impedido de manter vínculo convencional com a CEMADERN, ingressou com o seu pedido de desligamento da IEADERN e da Convenção, em 14 de fevereiro de 2002).

O último culto da "igreja informal" deu-se no dia 30 de janeiro, com a presença de 32 pessoas. Nessa noite, o pastor ministrou a palavra com base em At 1.5.

A
Assembléia Fundacional, convocada para o dia 02 de fevereiro, marcaria o início da existência oficial da ADEMP. A bênção do Senhor estava com mais essa porção da Sua Igreja, conforme viria a se confirmar nos dias subseqüentes!


[ Retorna ]

>SEGUE>